Em assembleia realizada pelo Sinpro de Macaé e Região, profissionais recusaram contraproposta e pediram mais valorização

Os professores da Educação Básica de Macaé, da rede particular de ensino, recusaram a contraproposta salarial de 2,5% feita pelo Sinepe Campos, sindicato que representa os patrões. Em assembleia, realizada pelo Sindicato dos Professores (Sinpro) de Macaé e Região, nesta semana, os profissionais pediram um valor que represente realmente um ganho real para a categoria.

O Sinpro entende que os argumentos utilizados pelo sindicato dos patrões não se sustentam, principalmente quando afirmam que ausência de inflação no período considerado para a construção do reajuste apresentado. “Isso não condiz com o nosso protagonismo dentro das salas de aula e na educação. Precisamos observar, que a vida dos trabalhadores se tornam cada vez mais complicada. O preço da cesta básica, por exemplo, aumentou e o poder de compra caiu. Os professores apontam ainda que esse percentual é bem inferior a média do aumento das mensalidades, que é de 8%. Os salários dos profissionais, entretanto, ainda não subiram”.

No encontro, os professores reafirmaram a intenção de manter o diálogo tanto com o Sinepe, quanto com pais, alunos e a sociedade, bem como a intensificação das visitas nas escolas. O Sinpro se comprometeu em disponibilizar o relatório das visitas nos estabelecimentos e a continuar a comunicação que tem feito nas redes sociais, blogger e o corpo a corpo com o material impresso. “Essa luta não é só do Sindicato é preciso o envolvimento de todos. As frentes de diálogos precisam se multiplicar para que todos abracem a nossa causa. Valorizar o Sindicato é fortalecer a defesa pelos direitos”, disse o presidente do Sinpro, Cesar Gomes.

Nesta assembleia, foi reivindicado ainda o início das rodadas de discussões da comissão paritária e o retorno das cláusulas sociais da Contribuição Assistencial.

VALORIZAÇÃO – Em Macaé a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) é válida até 2019. A conquista veio no ano passado, quando foi também defendida no documento uma política de valorização profissional e salarial.  Nesta semana, os participantes enfatizaram a valorização do ensino e daqueles que atuam para que ele seja fortalecido. Foi relembrada a Campanha Dignidade para Quem Ensino, feita pelo Sinpro em anos anteriores. “A qualidade de trabalho e vida precisam estar sempre pautados. Agora mais do que nunca, uma vez que a reforma trabalhista tem eliminado os direitos conquistados com tanta luta pelos trabalhadores”, finalizou Cesar.


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/sinpromacaecom/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/sinpromacaecom/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757