Sinpro Macaé e Região realiza reunião de negociação com representantes das escolas privadas de Macaé

A direção do Sinpro Macaé e Região participou na última quinta-feira (23/9) da segunda reunião de negociação com o Sinepe Campos, atendendo à solicitação do Sinpro, com vistas à Convenção Coletiva de Trabalho e ao reajuste salarial 2021-2022. Estiveram presentes representantes dos colégios particulares de Macaé.

O encontro aconteceu na Faculdade FAFIMA de Macaé e foi o segundo deste ano. A primeira reunião foi realizada no dia 18 de maio de 2021. A rodada de negociações tem continuação prevista para a próxima quinta dia 30 de setembro.

Os representantes dos colégios privados, que ainda não haviam apresentado nada para os professores, apresentaram, então, proposta de 2% de reajuste para 2021.

Para a direção do Sinpro Macaé, este reajuste representa, na verdade, NADA!

Com a inflação atingindo índice de 10%, o reajuste proposto não garante ganho real para os professores, uma vez que o piso salarial ainda é baixo.

Por isso nos colocamos contrários a qualquer possibilidade de abrirmos mão do reajuste salarial.

NÃO VAMOS PARAR!

O Sinpro Macaé e Região fez mobilizações na porta das escolas de Macaé. O objetivo foi divulgar a carta aberta aos pais, alunos e professores; além de ressaltar que o sindicato das escolas de início ofereceu 0% de reajuste salarial. Ou seja: NADA para este ano.

Isto porque, do ano passado para cá, apoiadas na COVID, a maioria absoluta das escolas e colégios da Educação Básica não deu um centavo de aumento e ainda diminuiu o salário de vários professores baseados na MP 936 e sua atualização, a MP 1045.

Pretendemos atingir mais colégios nesta semana. O Sinpro Macaé e Região reivindica  o reajuste do INPC 7,59%:

“As escolas precisam entender que é imoral aumentar o lucro retirando salário dos trabalhadores. Se todos suamos a camisa para manter as escolas abertas nesta terrível situação que estamos passando é justo agora que os salários sejam atualizados conforme a forte inflação que atinge o país”, disse Ivânia Ribeiro, vice- presidente do Sindicato.

A direção do Sinpro Macaé lembrou que não será possível tratar do assunto sem realizar um estudo e uma avaliação junto à categoria e solicitou, ao final do encontro, que na ata constasse a manutenção de todos os direitos até o fechamento da convenção.  Estaremos convocando nova assembleia dos professores em outubro para deliberar sobre as propostas.

 

Open chat