O Brasil é o país com a segunda maior população negra do mundo.

O preconceito racial ainda é uma realidade no Brasil e isso se reflete em todos os setores do País, inclusive na área da saúde. No Brasil, a história de seus conflitos e problemas envolveu bem mais do que a formação de classes sociais distintas por sua condição material. Nas origens da sociedade colonial, o nosso país ficou marcado pela questão do racismo e, especificamente, pela exclusão dos negros. Mais que uma simples herança de nosso passado, essa problemática racial toca o nosso dia a dia de diferentes formas.
Dessa maneira, é no passado onde podemos levantar as questões sobre como o brasileiro lida com a questão racial. A escravidão africana instituída em solo brasileiro, mesmo sendo justificada por preceitos de ordem religiosa, perpetuou uma ideia corrente onde as tarefas braçais e subalternas são de responsabilidade dos negros. O branco, europeu e civilizado, tinha como papel, no ambiente colonial, liderar e conduzir as ações a serem desenvolvidas. Em outras palavras, uns (brancos) nasceram para o mando, e outros (negros) para a obediência.
A discriminação racial está há anos enraizada na base social e política brasileira. A grande maioria de brancos, com suas regalias, impõe suas opiniões preconceituosas contra os direitos dos negros. Porém, um país onde o governo atual ataca as oportunidades ofertadas ao povo preto deve tornar ainda mais intensa a luta contra a discriminação que perdura na sociedade presente.
A crescente desigualdade e o preconceito, muitas das vezes “velados”, revelam uma realidade triste para os mais de 56% de brasileiros negros no país. De acordo com o Atlas da Violência 2020, realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a taxa de homicídios de negros cresceu 11,5% de 2008 a 2018, enquanto a de não negros caiu 12%, revelando um grande descaso nas iniciativas políticas quanto ao aumento anual desses números.
Com isto, os movimentos sociais erguem a voz em defesa de um Brasil livre e sem preconceitos, uma força histórica que reivindica os direitos roubados do povo preto , na luta contra um governo fascista e opressor que dissemina a desigualdade e o ódio. O país vive uma série de casos absurdos marcados por discursos repulsivos e preconceituosos, que abomina as diferenças e incentiva a segregação racial

Open chat