“ Se a educação sozinha não transforma a sociedade, ela tampouco a sociedade muda.”
(Paulo Freire, em “Pedagogia da Indignação”)

Hoje, dia 15 de outubro, é comemorado o dia do professor e da professora.

Dia 15 de outubro, é celebrado o Dia dos Professores no Brasil. Assim como em diversos outros países do mundo, reservamos uma data oficial para homenagear esses profissionais, que são fundamentais para se garantir o direito à aprendizagem para todos. Um dia ao ano, porém, está longe de ser suficiente para celebrar o trabalho docente e também para discutir as situações enfrentadas por eles em seu fazer cotidiano nas salas de aula pelo Brasil afora, ou as graves questões de desrespeito, violência e desvalorização que sofrem todos os dias.

Ninguém nega a importância da educação para o país, mas nem todos fazem as contas do que precisa ser feito. Não há boa educação sem bons professores. E não há bons professores que estejam desmotivados.

Mesmo diante das mais diversas dificuldades, professores e professoras de todo o país seguem em luta em defesa da Educação, fazendo dela instrumento de conscientização e emancipação humana.

A mudança de rotina das famílias e de trabalhadores e trabalhadoras, consequência do isolamento social recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar a disseminação mais rápida ainda do vírus, suspendeu as aulas presenciais em todo o país e trouxe uma nova realidade para alunos e professores – o ensino à distância.

Essa nova realidade, diz Guilhermina Rocha, deixou claro o papel do professor no processo de formação de cidadãos. “É uma realidade atípica que evidencia o ambiente escolar como fundamental para a formação e mais ainda, no presencial ou à distância, a importância do educador”.

Apesar de todos os desafios impostos pela Covid-19 à sociedade, da forma possível, e em muitos momentos de maneira exaustiva, professoras e professores continuaram próximos dos estudantes. Nossos professores de todos os níveis tiveram que adequar processos de ensino e aprendizagem com pouco, ou nenhum, suporte tecnológico e financeiro das instituições privadas e de nenhum governo federal, estadual e municipal.

Ainda assim, professoras e professores, não baixaram as cabeças.

Nossa luta é justa. Reivindicar valorização é reivindicar nossa Dignidade.

Professor (a), PRESENTE!

“Educação não transforma o mundo. Educação transforma as pessoas e as pessoas transformam o mundo”.

A frase de Paulo Freire, patrono da educação no Brasil, uma espécie de mantra para os educadores, é citada por Guilhermina Rocha para explicar o papel da educação na vida de um cidadão.

“O professor é quem ajuda os demais profissionais, é essencial nessa relação de formação cidadão, ou seja, da preparação do ser humano para ingressar no mundo do trabalho”, diz a presidente do Sindicato dos Professores de Macaé e Região.
“Todas as profissões passam pelas mãos dos professores”, complementa Guilhermina Rocha.

Nesse dia 15 de outubro, saudamos a trajetória de luta, força e resistência da nossa categoria docente, organizada há 27 anos no SINPRO MACAÉ E REGIÃO. Celebramos a nossa capacidade de ousar, de lutar e de defender os DIREITOS de nossa categoria e a EDUCAÇÃO.

Dignidade para quem ensina!

Sinpro Macaé e Região

Open chat